A BIBLIA SAGRADA

02/01/2010 19:31


Introdução

A Bíblia é a única regra de fé e prática para o crente e a instituição que Cristo estabeleceu - a Sua igreja. Portanto a Bíblia deve receber o mais alto respeito da mente e da vida do crente. A Bíblia nos ensina de Deus, como Ele é, como Ele quer ser adorado e o que devemos crer sobre Ele. A Bíblia nos ensina de onde viemos, o porquê fomos criados e como cumprir este propósito. A Bíblia nos mostra quem é o nosso inimigo, e quais são as suas armadilhas.

Devemos estar estabelecidos na Bíblia e nos lembrarmos qual é o fim daqueles que não se submetem à ela. Os que não levam a sério a Bíblia, logo aproximam da imoralidade, da infi­delidade, do agnosticismo, do espiritismo e de outros abismos de falsidade. Devemos, então, estar certos da posição da Bíblia, na mente do Se­nhor Jesus (João 12:47-48), e procurar coloca-la em prática no dia a dia das nossas vidas particulares e sermos firmes quanto a Sua importância nas pregações da igreja.

Artigo Quatro

Cremos que a Bíblia Sagrada é um livro sobrenatural; que ela é verdadeiramente a Palavra de Deus. Ela é a perfeita, as final e com­pleta revelação da vontade de Deus ao homem. Ela tem Deus, o Es­pírito Santo, como autor, a salvação o seu propósito e verdade no origi­nal sem erro o seu conteúdo. Ela foi escrita por homens santos guiados pela atual presença e direção do Espírito Santo; ela é inspirada verbalmente e, assim sendo, o tesouro perfeito de instrução divina. Ela revela os princípios pelos quais Deus nos julgará e é, portanto, a regra de união Cristã, e é a régua diante da qual toda conduta, crença e opinião humana devem ser medidas.

 

CREMOS QUE A BÍBLIA SAGRADA É UM LIVRO SOBRENATURAL; ELA É VERDADEIRAMENTE A PALAVRA DE DEUS. - Sal 119:89; II Tim 3:16-17

 

A. A BÍBLIA SAGRADA É UM LIVRO SOBRENATURAL.

 

1. A Bíblia continua existindo pelos séculos enquanto os seus inimigos perecem (Isaías 40:8; Mat. 24:35; I Pedro 1:23-25).

 

Os livros do homem são como os homens: mortais e falíveis. A porcentagem de livros que duram mais que vinte anos é pequena, os de mais de cem anos, menor ainda, e os que sobrevivem um milênio ainda mais raro. Mas, antes de todos, e ainda existente hoje, reina a Bíblia (Bancroft).

2. A Bíblia transforma vidas, nações e povos

 

Pela operação da Bíblia podemos ver que ela é um livro sobrenatu­ral. Por ela vem a fé (Rom 10:17), e o pecador é salvo (Tiago 1:21; II Ped 1:4), as almas são lavadas (Sal 119:9) e o crente é guardado do mal (João 17:14,17). Através da Bíblia terá no céu “uma multidão, a qual ninguém podia contar, de todas as nações, e tribos, e povos, e línguas” (Apoc 7:9) e assim se comprova o seu poder.

 

B. A BÍBLIA SAGRADA É VERDADEIRAMENTE A PALAVRA DE DEUS.

 

1. A Bíblia é Real e Atual

Heb 4:12, Ela é “viva e eficaz” ou seja, sempre atual, sempre em dia, nunca atrasada.

A inspiração garante que este livro é mesmo de Deus e não do ho­mem. As palavras proferidas e escolhidas para serem escritas vieram mesmo de Deus e não do homem (Êx. 4:12; Núm. 12:6,8; I Ped 1:10-12).

 

2. A Bíblia é a Palavra de Deus

Os nomes usados para se referir à Bíblia indicam que Ela vem de Deus: “as palavras de Deus” (Rom 3:2; Luc. 8:11), “a Palavra do Senhor” (Atos 13:48), “a palavra da vida” (Fil. 2:16), “a palavra de Cristo” (Col. 3:16). Também os atributos de Deus são relacionados a Ela: “a palavra da verdade” (Efés 1:13) e “a palavra da fé” (Rom 10:8) e mais de duas mil vezes provam que a Bíblia é a palavra de Deus (Bancroft).

 

I. ELA É A PERFEITA, A FINAL E A COMPLETA REVELAÇÃO DA VONTADE DE DEUS AO HOMEM.

 

A. A BÍBLIA É PERFEITA E COMPLETA

1. A Bíblia é Perfeita

A Bíblia é chamada de “sagradas Escrituras”, pois vêm de Deus, por isso Elas são perfeitas. A obra que a Bíblia faz atesta a sua perfeição. Através dela vem a fé (Rom 10:17), a salvação (Tiago 1:20; II Ped 1:4), a lavagem espiritual (Sal 119:9) e, por ela, somos guardados do mal (João 17:14,17). Ela opera na alma, no coração e na vida do homem, convencendo-o (João 16:8-14) da verdade de Deus e trazendo os fieis à ima­gem de Cristo (Rom 8:29).

 

Os símbolos usados na própria Bíblia mostram a sua perfeição:

• Ela revela - espelho: I Cor. 13:12; Tiago 1:23-25

• Ela gera a vida - semente: Tiago 1:18; I Pedro 1:23

• Ela ilumina e guia - lâmpada ou luz: Sal. 119:105

• Ela lava e purifica - água: Efés 5:25-27; João 15:3; 17:17

• Ela adorna e enriquece - ouro e vestimenta: Sal 19:10; I Pedro 3:3-5

• Ela equipa - armamento: Jer 23:29; Efés 6:17; Hebreus 4:12

• Ela sustenta e satisfaz - alimentação: I Pedro 2:2;I Cor. 3:1,2; Sal. 19:10

 

3. A Bíblia é Completa

I Cor 13:8-10; Gal 1:8; Apoc 22:18,19

 

Os Mórmons, os Católicos e muitas outras denominações esperam sempre por mais revelações. Se alguém procura outras revelações, além daquelas já nelas relatadas, revela increduli­dade e rebelião em relação àquilo que nela está escrito e manifestado (Huckabee). As religiões não só suplementam a Bíblia como também a contradizem (Mat. 15:8,9).

 

A Bíblia tem 66 livros diferentes, escritos em diferentes seções, são 40 autores diferentes que existiram em três continentes num perío­do de 15 ou 16 séculos, eram reis, fazendeiros, mecânicos, cien­tistas, advogados, médicos, pescadores, sacerdotes e pastores, uns ricos, outros pobres, uns da cidade e outros do campos usando cada um usando uma forma de literatura conhecida tocante a vida humana e o sentimento e em centenas pontos diferentes, sem nenhum erro absoluto no seu trato. (T.P. Simmons, p. 25- Inglês).

 

B. Não Há Mensagem além da Bíblia II Ped 1:18-21; I Cor 13:8-10

 

A Bíblia tem a palavra final para todos os pensamento e ações do homem (João 12:47-50; Apoc 20:12)

É coisa séria aumentar ou diminuir o seu conteúdo: Deut 4:2; 12:32; Prov. 30:5,6; Luc.. 11:52; Apoc 22:18,19

 

C. A Bíblia é a Revelação de Deus ao Homem

1. O que se entende por Revelação e Razão

A revelação é aquele conhecimento que Deus transmite por instrução sobrenatural. Exemplo disso é a Bíblia. O homem pode conhecer a Deus somente até ponto em que Ele se revela. O homem pode conhecer Deus pela Bíblia (I Cor 2:11).

 

O homem tem razão (raciocínio) que lhe capacita ter percepção, exercitar os pensamentos e as reflexões, saber fatos, e logicamente deduzir as conclusões das observações. Se estas capacidades naturais do homem estiverem livres de preconceitos, poderiam até distinguir o bem do mal e ser conscientes da sua responsabilidade diante de Deus.

 

Por causa do estado depravado do homem, ele necessita uma revelação além da razão. Essa revelação deve:

a.) Vir de Deus (só Ele é capaz e só Ele tem o direito);

b.) Entender as limitações do homem e dar a ele o necessário;

c.) Ser digno de confiança (sem erro) para ser superior da razão defeituosa do homem;

d.) Ter autoridade da verdade para condenar os que rejeitam ela e abençoar os que nela confiam;

e.) Ter uma certa dificuldade no seu desempenho, pois isso é natu­ral (Boyce, p. 48)

 

Quando entendemos como deve ser a revelação, concluímos que a Bíblia cumpre todas as suas qualificações. Ela vem de Deus, compreende as limitações do homem, e é dig­na de confiança. Ela tem autoridade verdadeira para julgar e abençoar, e, de certo, há uma certa dificuldade em cumpri-la.